Fique por dentro dos pontos de crescimento da economia na Amazônia

A economia na Amazônia tem apresentado crescimento acima da média das outras regiões do Brasil. Para você ter uma ideia, em 2017, essa região aumentou sua participação na totalidade do PIB nacional para 8%. Isso representa um salto de quase 3% se considerarmos o índice de 20 anos atrás.

A sustentabilidade é um conceito muito presente nessa área. Afinal de contas, a Amazônia é a maior floresta tropical do mundo. Não é à toa que também é chamada de pulmão do planeta por muita gente. O mercado de atividades que envolvem boas práticas sustentáveis tem contribuído para esse crescimento econômico do local. Abaixo, vamos apresentar para você algumas das principais formas de investimento e negócios sustentáveis presentes por lá. Confira!

Mineração

A mineração é uma atividade responsável por aquecer a economia amazônica. Ela proporciona investimentos em locais bastante carentes tanto social como economicamente. Portanto, é bem-vinda em diversas áreas devidamente habilitadas para receber esse tipo de trabalho, aumentando a potencialidade do lugar.

Vamos lembrar que esse trabalho, seja na Amazônia ou em qualquer outra parte do Brasil, precisa de licença ambiental junto ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Esse licenciamento tem o papel de realizar um diagnóstico detalhado do impacto da mineração no meio ambiente e das ações para compensá-los.

Agricultura

Hoje em dia, o manejo agrícola sustentável é uma das práticas mais discutidas entre os agricultores locais, junto aos impactos gerados no meio ambiente e o retorno econômico que a agricultura traz.

Um conceito que vem sendo bastante difundido é o da agroecologia. Trata-se de uma forma de agricultura familiar implantada na região amazônica, com base em princípios relacionados a 3 esferas: social, econômica e ambiental.

A mudança para esse tipo de modelo produtivo, pautado nas melhores práticas agroecológicas e de sustentabilidade, engloba diversos âmbitos. A agricultura ecológica aborda o processo de regularizar imóveis, de resgatar o conhecimento científico do local a respeito da agroecologia e uma melhor compreensão a respeito do panorama da preservação ambiental da região amazônica.

Manejo florestal

A extração madeireira é uma atividade importantíssima para a economia da Amazônia Legal, junto da mineração e da agricultura. Por essa razão, as decisões que envolvem o manejo florestal estão presente nos debates para tornar viável um modelo de desenvolvimento que seja aderente à região que representa mais da metade do nosso território nacional.

O manejo sustentável consiste na divisão da área de exploração, com floresta nativa, em diversas faixas. As árvores de grande porte, com mais de 50 cm de diâmetro, dão início a extração na primeira faixa. Em seguida, passa-se para as demais faixas, sempre cumprindo o tempo que manda a lei, ou seja, 30 anos. Após esse período, é possível voltar a retirar as árvores da primeira faixa, pois as espécies já conseguiram se recuperar

Nesse modo de manejo, são extraídas até seis árvores por hectare de terra, sendo que algo próximo a 5% do terreno precisa ser desmatado para que as toras possam ser transportadas. Logo, conserva-se a cobertura vegetal. Isso contribui para que vários serviços ambientais sejam preservados, como proteção de mananciais e de espécies naturais da região.

Ecoturismo

O ecoturismo é um nicho de mercado que pede investimentos relativamente baixos em troca de uma rápida lucratividade. Ele absorve a mão de obra local, contribuindo para a valorização dos moradores da região, além de poder ser utilizada como uma ferramenta de educação ambiental tanto para quem vive dela como para as pessoas que usufruem da natureza em seu momento de lazer.

O segmento de ecoturismo amazônico ainda tem uma grande demanda reprimida para movimentar a economia. Ou seja, ainda há espaço para muito crescimento do turismo sustentável por lá.

Reflorestamento

Um estudo realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mostrou que um investimento pequeno direcionado a regenerar a floresta pode gerar bons lucros. Isso porque o que é produzido com o reflorestamento pode ser utilizado em atividades de manejo sustentável da madeira. A rentabilidade conseguida com a plantação da espécie paricá em locais devastados pelo desmatamento foi 36% acima do que em terrenos que passaram pela regeneração natural.

A Embrapa estima que esse método tenha a possibilidade de aplicação em mais de 19 milhões de hectares de florestas que possuem patamares diversos de degradação no estado do Pará. O intuito desse estudo foi realizar a avaliação dos índices de produtividade e lucratividade financeira da semeadura objetivando enriquecer as terras degradadas.

Energia solar

Nas duas últimas décadas, o crescimento da Amazônia foi o dobro do crescimento médio no Brasil. Porém, a média de renda dos moradores da região fica abaixo da média do país, segundo o estudo realizado pela economista Tatiana Pinheiro, baseado em informações fornecidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).

Um dos fatores principais para a desigualdade salarial dos brasileiros que residem no território amazônico é a dificuldade em acessar a rede de energia elétrica. Em muitas comunidades locais, a única maneira de ter luz é por meio de geradores movidos a diesel, sendo que essa energia pode ser restrita a apenas 3 horas por dia, isso quando não falta combustível e comunidades inteiras ficam às escuras.

Mas, aos poucos, a instalação de sistemas fotovoltaicos está começando a fazer parte da vida dessas pessoas. Como podemos ver, existe um campo enorme para a expansão da produção de energia solar na Amazônia brasileira.

O impacto da geração de energia utilizando a radiação solar é altamente positivo, pois leva mais qualidade de vida à região, permitindo que os amazonenses possam usufruir de um melhor atendimento médico, principalmente em urgências.

E, ainda por cima, o uso da energia solar contribui para o ecossistema, por ser limpa, renovável e infinita. Poder contar com acesso a eletricidade impacta positivamente a economia na Amazônia, ajudando negócios a se desenvolverem, prosperarem e criarem mais vagas de empregos com melhores salários.

Continue a sua leitura sobre a influência positiva da energia solar na economia com o post Por que investir em energia solar é uma boa alternativa para o cenário econômico atual?

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.